Moto mais cara do Brasil custa R$ 1,1 milhão; veja top10

Moto mais cara do Brasil custa R$ 1,1 milhão; veja top10

julho 23, 2021 0 Por Marquinho

Você sabe qual é a moto mais cara do Brasil atualmente? Este título pertence à Ducati Superleggera V4, à venda por R$ 1,1 milhão. Estamos falando de uma máquina tão fabulosa quanto exclusiva, que pode ser comprada apenas por encomenda.

Mas nem todos podem investir tanta grana numa moto. Por isso, garimpamos outras motos dos sonhos mas mais ‘acessíveis’ e apresentamos aqui a lista com as 10 motos mais caras do país em 2021. Prepare o cartão de crédito (aquele sem limite, claro) e boa escolha.

A Superleggera V4 é a moto mais cara do Brasil e uma das mais caras do mundo. Por aqui, custa simbólicos R$ 1,1 milhão

Moto mais cara do Brasil

Os preços foram extraídos da tabela e representam um valor médio cobrado nas lojas por cada produto ao invés dos preços sugeridos pelas próprias fabricantes. Assim, estão mais próximos dos números finais, encontrados pelos clientes nas concessionárias. Está pronto?

Moto mais cara do Brasil 2021: top10
ModeloPreço médio
1Ducati SuperLeggera V4R$ 1.100.000 (prço sugerido)
2Ducati Panigale V4RR$ 325.150 (a S custa R$ 146.990)
3BMW K 1600 GTLR$ 255.700 (a Bagger custa R$ 247.267)
4Harley-Davidson CVO LimitedR$ 214.500
5BMW R 1250 RT Premium SpezialR$ 194.718 (a Premium custa R$ 181.075)
6Harley-Davidson CVO Street GlideR$ 193.300
7Honda Gold Wing TourR$ 169.596 (a de entrada custa R$ 158.854)
8Kawasaki Ninja H2 SX SER$ 150.634
9BMW S 1000 RR M-CarbonR$ 149.374
10Harley-Davidson Ultra LimitedR$ 144.069

1 – Ducati Superleggera V4, a moto mais cara do Brasil

A Superleggera V4 reina sozinha, distante no topo da lista das motos mais caras do Brasil. Com preço sugerido de R$ 1,1 milhão ela só pode ser comprada no país por encomenda. A empresa importa a unidade pretendida da Italia e entrega em mãos ao feliz proprietário. O nome disso é exclusividade.

A Superleggera é uma obra prima italiana, xodó de seus criadores e exclusivíssima em todo o mundo

É uma obra prima italiana. Derivada da GP16, protótipo da Ducati na MotoGP, é movida por um motor de 998 cm³ e quatro cilindros em V. Gera 234 cv a 15.500 rpm e 12,13 kgf.m de torque a 11.750 rpm e pesa inacreditáveis 152,2 kg. Equipada com o que existe de mais avançado em tecnologia para desempenho e segurança, ela é muito mais do que números podem expressar.

2 – Ducati Panigale V4R (R$ 325.150)

A grana está curta demais para comprar a moto mais cara do Brasil? Quem sabe então a Panigale V4R, segunda da lista, tão exclusiva quanto e por um preço bem mais convidativo. De quebra, tem o mesmo tom de vermelho e só vem ao país por encomenda.

Por ‘apenas’ R$ 325 mil, Panigale V4 R entrega os mesmos 234 cv da Superleggera. Quem está com a grana curta ainda pode optar pela V4 S, de R$ 147 mil.

3 – BMW K 1600 GTL (255.700)

Você está em busca de uma das melhores motos para viagens e com orçamento na casa dos R$ 250 mil? Então considere a K 1600 GTL, versão topo de linha da famosa touring alemã. Para a marca, ela representa ‘apogeu da qualidade e do conforto absolutos’.

A K 1600 GTL é a moto mais cara da BMW no Brasil – e um ícone em conforto, também

a BMW não economizou em recursos para agradar um público tão seleto quanto exigente. O conjunto conta com suspensão Dynamic ESA, ABS Pro, farol adaptativo e em xenon, sistema Keyless Ride, para-brisa elétrico, trocas de marcha sem embreagem, assistente de marcha a ré e muito (muito!) mais. Para se mover com suavidade e luxo por aí, um motor de 6 cilindros e 1.649 cm³, que gera 160 cv e 17,8 kgf.m de torque.

4 – Harley-Davidson CVO Limited (R$ 214.500)

CVO Limited é a mais cara entre as motos da Harley no Brasil. Legítima touring, tem duas malas laterais e um top case, que acomoda dois capacetes fechados. O motor Twin-Cooled Milwaukee-Eight 117 de 1.923 cm³, gera cerca de 106 cv e 17,2 kgf.m de torque. Tem arrefecimento a líquido e trabalha com o câmbio de 6 velocidades.

CVO Limited tem preço médio de R$ 214.500, uma bagatela

O modelo ainda conta com sistema de som com quatro alto-falantes e faróis de LED com fachos adaptativos. Além disso, a chave é do tipo presencial, as manoplas são aquecidas e o travamento do guidão tem acionamento elétrico.

5 – BMW R 1250 RT Premium Spezial (R$ 194.718)

A segunda BMW próxima da moto mais cara do Brasil é a R 1250 RT Premium Spezial. É a versão topo de linha da touring que compartilha componentes (incluindo o motor) com a R 1250 GS, big trail mais vendida do mundo – e do país também.

Reparou nos grandes alforjes e banco em couro marrom? A R 1250 RT é um requinte só

Além da pintura no exclusivo tom Azul Planet e vocação estradeira, se destaca pelo belo pacote eletrônico. Há sistema de áudio, suspensão Dynamic ESA, ABS Pro, aquecedor de manoplas, assistente de partida em subida, malas laterais na cor da moto, tela TFT, parabrisa com ajuste de altura e tomada 12V. A versão Spezial ainda tem tampa do motor e do cabeçote Billet Pack Classic e banco em couro castanho.

6 – Harley-Davidson CVO Street Glide (R$ 193.300)

A Street Glide é mais uma touring elegante da Harley-Davidson. Com perfil baixo, posição de pilotagem ereta e assento para o passageiro, ela ainda sai da loja com os alforjes rígidos da H-D. Outro item de série é o sistema de tecnologias Reflex.

A touring CVO Street Glide é a segunda Harley na lista de motos mais caras do Brasil

Abaixo de tudo isto pulsa um tradicional motor com dois cilindros em V. É o Milwaukee-Eight 114, com 1.868 cm³ e 16,3 kgf.m de torque. Para curtir a estrada, ainda tem sistema de som Boom! Box GTS de 50 watts e tela TFT colorida, que pode ser conectada ao smartphone.

7 – Honda Gold Wing Tour (R$ 169.596)

Gold Wing é a única Honda entre as motocicletas mais caras do país. Tradicional Touring da marca, a última geração do modelo chegou em 2019, já nas versões Gold Wing e Tour – melhor equipada para viagens, com direito ao exclusivo assento do garupa e cases rígidos.

A Gold Wing é a moto mais cara da Honda no Brasil, mas justifica o preço com um generoso pacote eletrônico. Ah, e é a única moto do mundo com air bag de fábrica

Além da suavidade do motor de 6 cilindros e 126 cv / 17,3 kgf.m de torque, possui uma vasta lista de componentes eletrônicos para devorar estradas com segurança e conforto. Há sistema de som, smartkey, suspensão dianteira Double Wishbone, bancos e manoplas aquecidos e assistente de partida em superfícies inclinadas. Como exclusividade no setor, possui câmbio DCT e airbag.

8 – Kawasaki Ninja H2 SX SE (R$ 150.634)

Você já deve ter notado que a lista com as motos mais caras do Brasil é composta basicamente por motos super esportivas e touring. E aqui temos mais uma representante do primeiro grupo que traz uma pitada do segundo, a bestial (um pouco touring) Kawasaki H2.

Com banco um pouco mais confortável, pedaleiras avançadas e visual discreto, a H2 SX SE é quase uma sport-touring. Mas não se engane, há 230 cv nesta foto

Trata-se da versão SX SE, uma derivação menos agressiva da superesportiva. Voltado ao uso civil ela possui até indicador de pilotagem econômica – além de cruise control, conectividade com smarphone, luzes adptativas para curvas e muito mais. Mas não se engane, ainda é uma H2. É alimentada por um motor de 998 cm³ sobrealimentado por supercharger e gera 230 cv de potência máxima.

9 – BMW S 1000 RR M-Carbon (R$ 149.374)

M-Carbon é a versão topo de linha da superesportiva alemã BMW S 1000 RR. Ela é 3,5 kg mais leve que as irmãs graças a adoção de itens exclusivos como capa da corrente e do pinhão, paralamas dianteiro e traseiro e carenagens superiores. Tudo em fibra de carbono, claro.

Esportiva topo de linha da marca, a BMW S 1000 RR M-Carbon é a terceira BMW entre as motos mais caras de 2021

No restante, preserva a receita da S 1000 RR pacote M. Possui motor tetracilíndrico de 999 cm³ e 207 cv, câmbio com BMW Shiftcam e quickshifter. Na eletrônica, possui wheelie control, limitador para pit-lane, controle de tração dinâmio, ABS Pro e tela TFT de 6,5 polegadas, entre outros recursos.

10 – Harley-Davidson Ultra Limited (R$ 144.069)

Fechamos a nossa lista com das motos mais caras do Brasil em 2021 com a terceira Harley-Davidson. Nas lojas por aproximadamente R$ 145 mil, a Ultra Limited é um dos modelos mais clássicos da norteamericana. Também é uma das mais vendidas por aqui, com 115 emplacamentos no semestre.

Quem não quer investir R$ 200 mil mas não abre mão de cromados e conforto pode optar pela Ultra Limited

Entre as apostas para agradar o consumidor está sua experiência touring. Destaque aos bagageiros laterais e top case, todos rígidos. Ainda há o encosto para o garupa, a fim de gerar mais conforto. Também é movida pelo Milwaukee-Eight 114.